O timbre “oriental” de Brian May no Queen

Brian May é um guitarrista único. Afinal, não é pra qualquer um transformar madeira velha num instrumento icônico, de som quente e forte, atacando-o com moedas em vez de palhetas (já tentei e é tenso, viu).

Curioso que só, o guri do Queen também desenvolveu raro senso pra obtenção de timbres diferentes. Munido da improvável combinação violão + cordas de piano, gerou tons tão próximos das cítaras indianas que é bem possível imaginá-lo fazendo uma jam com Ravi Shankar, às margens do Ganges.

Pra alcançá-los, May pegou pedacinhos de arame, contidos nas extremidades das amarras do brinquedinho preferido de Freddie Mercury, e botos os benditos sob os trastes da sua viola.

Achou o zunido “oriental” tão bacana que o usou em duas músicas do Queen: White Queen (As it Began), do Queen II, e Jealousy, do Jazz. Confira o resultado, abaixo:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s