Copa João Havelange: a última grande campanha do Sport no Brasileirão

sport 2000Destaque do turno inicial do Campeonato Brasileiro 2015, o Sport já protagonizou belos momentos na elite da bola nacional. O último grande brilho se deu na conturbada Copa João Havelange, quando apresentou um futebol capaz de botá-lo entre os cinco melhores do país.

O ano 2000, aliás, rendeu bons frutos à Ilha do Retiro desde o começo. Campeão pernambucano pela quinta vez consecutiva, o time também faturou a Copa do Nordeste no primeiro semestre.

A pegada continuou forte no Havelanjão. Com Bosco em grande forma no gol, Russo mandando ver na lateral direita, Leomar e Sidney entrosadíssimos na volância, Adriano na meia e Leonardo comandando o ataque, o Leão de Emerson Leão terminou a primeira fase na segunda colocação, três pontos atrás do Cruzeiro.

sport 2000 2Se o posto já chama atenção, os resultados falam ainda mais alto. Vitórias impressionantes fora de casa contra Vasco (2×0), Santa Cruz (3×0), Flamengo (2×1) e Atlético-MG (6×0), aliadas ao aproveitamento de 75% como mandante (apenas o Internacional o bateu em Pernambuco, por 1×0), fizeram a torcida sonhar alto.

Classificado com sobras ao mata-mata, lá foi o Sport encarar o Remo nas oitavas de final. Contra o terceiro do Módulo Amarelo, equivalente à segundona, o vice-campeão do Azul arrancou duas vitórias: 2×1 em Belém, de virada, e 1×0 em Recife.

Nas quartas, fim da linha diante do Grêmio.

Em Porto Alegre, show de Ronaldinho Gaúcho e derrota por 2×1. Na volta, apesar dos mais de 46 mil pagantes na Ilha, o Sport não reverteu a situação. Adriano até encontrou forças pra empatar o jogo, sete minutos após Ronaldinho (sempre ele) abrir o marcador, de pênalti, já na etapa complementar. Mas não deu: 1×1, e sonho encerrado.

Coube ao Rubro-Negro levantar a cabeça e aceitar a quinta posição na classificação geral da Copa João Havelange – a mais alta desde o Campeonato Brasileiro de 1985*, quando também fechou o Top 5. Graças à campanha, Leão – o treinador – foi chamado a assumir o comando da Seleção Brasileira.

PS: Sport e Grêmio protagonizaram uma troca interessante àquela temporada. Emerson Leão iniciou o ano no Tricolor Gaúcho, sendo demitido pelos maus resultados na Copa Sul-Minas e uma péssima excursão à Europa. Celso Roth, por sua vez, foi o técnico campeão da Copa do Nordeste. Acabou posto pra correr de Pernambuco devido a instabilidades na Copa do Brasil.

Curiosamente, ambos navegariam em águas mais calmas e vencedoras depois de mudarem de lado.

*Desconsiderei o Brasileirão de 1987, pois considero a Copa União, aquela vencida pelo Flamengo, como verdadeiro campeonato daquele ano. Neste texto aqui, explico o porquê.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s