Retorno do Londrina à Série B do Brasileirão coroa gestão que reconstrói finanças do clube

lelec 2Depois de 11 temporadas purgando em divisões menores, o Londrina estará de volta à Série B do Campeonato Brasileiro em 2016. O retorno é reflexo de um processo de recuperação financeira que bota ordem na casa desde o fim de 2010 – época em que a Série Prata estadual era realidade.

Problemas antigos

lelec 3Dívidas faziam parte do cotidiano do Tubarão já em 2005. Os déficits chegavam a R$ 7 milhões e, somados a inúmeras ações trabalhistas, preocuparam a diretoria a ponto dela cogitar abandonar competições por um ano.

As despesas seguiram comendo soltas, e a Justiça do Trabalho interveio parcialmente em 2006. Três anos mais tarde, a intervenção foi total, afastando cartolas e impugnando as eleições internas.

Tinha como ficar pior? Sim. Em 2009, não só a Série D do Brasileirão virou realidade como, no Campeonato Paranaense, uma pífia campanha culminou em rebaixamento à Divisão de Acesso.

Nova Era

lelec 4Tudo mudou à chegada do gestor Sérgio Malucelli e sua consultoria esportiva SM Sports, com a qual o LEC firmou acordo no final de 2010. Cláudio Tencati veio em abril de 2011 e, graças ao treinador, o time encontrou ânimo pra vencer a Série Prata e retornar à elite regional.

Nas temporadas seguintes, turbulências. Em 2012, não rolou nem Brasileiro, devido ao desempenho mediano no Ruralzão. Um ano depois, o calendário no segundo semestre foi garantido, porém a subida à Terceirona não veio.

Rolou crueldade: faltando três minutos pro fim das oitavas de final, o Londrina empatava com o Juventude por 1×1, em Caxias do Sul (resultado que lhe favorecia por vencer a ida por 1×0). Sofreu dois gols, perdeu por 3×1 e chupou o dedo.

Conquistas

lelec 5Se o karma tubaronístico parecia grande demais, 2014 tratou de devolver o sorriso à torcida. Primeiro, o título paranaense obtido nos pênaltis, diante do Maringá, encerrando jejum de 22 anos sem taças na Série Ouro. Depois, o retorno à Série C após o clube alcançar as semifinais na Quarteirona.

Abaixo, as penalidades contra o Maringá:

Em 2015, o bi rural ficou na vontade, mas o grande objetivo tornou-se realidade. Diante de 30 mil pessoas no Estádio do Café, o LEC bateu o Confiança por 1×0, pelas quartas de final da 3ª Divisão, e garantiu o regresso à Série B.

Cenário atual

O caminho pé-vermelho está mais aparado, é verdade, embora ainda tenha pedras – a Justiça segue com interventor atuando lá, por tempo indeterminado. Até maio deste ano, 90% das ações trabalhistas haviam sido resolvidas, e os débitos celestes somavam R$ 4 milhões.

Se os comandados de Cláudio Tencati conseguirem se manter entre os 40 melhores do país na temporada que vem, ajudarão e muito na saúde monetária londrinense.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s