As 10 melhores músicas desconhecidas do Oasis

oasisA vida útil da banda dos irmãos Gallagher não foi tão grande, comparada a outros exemplos vindos da Inglaterra. Apesar disso, os rapazinhos de Manchester compuseram muita música boa.

Pensando nisso, peneirei a discografia do Oasis e escolhi 10 canções pouco conhecidas pela agenda pública, as quais gosto demais da conta. Confira as eleitas, em ordem cronológica:

1- Strange Thing

Integrante da fitinha demo distribuída pelo grupo em 1993, quando ainda lutavam por um contrato de gravação. Viria a ser lançada propriamente 21 anos depois, na versão especial do álbum Definitely Maybe.

2- Take Me Away

Baladinha dazantiga de Noel Gallagher, com um tcham especial. Lado b do primeiro single dos caras, Supersonic (1994).

3- You’ve Got to Hide Your Love Away

Excelente cover dos Beatles, cantado pelo Noel. B-side nipônica do single Some Might Say (1995).

4- Headshrinker

Outro complemento de Some Might Say (1995), desta vez da versão britânica. Em 1998, entrou na compilação The Masterplan.

5- Bonehead’s Bank Holiday

Bônus da versão vinil do seminal (What’s the Story) Morning Glory? (1995). Seria originalmente cantada pelo guitarrista Paul “Bonehead” Arthurs, mas o guri sentiu vergonha e Noel chamou a responsa.

6- Step Out

Noel a queria no …Morning Glory?, até Stevie Wonder pedir parte dos royalties, notando óbvias semelhanças entre ela e seu antigo hit Uptight (Everything’s Alright). Por fim, Wonder ganhou o devido crédito e a meninona foi confinada no lado b de Don’t Look Back in Anger (1996).

7- The Girl in the Dirty Shirt

Be Here Now é meu disco preferido do Oasis, parcialmente porque a voz de Liam Gallagher atinge seu ápice em 1997. Essa aqui é um bom exemplo disso.

8- Let’s All Make Believe

Primoroso lado b de Go Let it Out (2000). O áudio aí de cima não é o original, que não encontrei, e sim uma versão em tom alterado, mais agudo.

9- Can Y’See It Now? (I Can See It Now!!)

Extra da prensagem japonesa do disco Don’t Believe the Truth (2005), praticamente instrumental. Vibe marota.

10- The Quiet Ones

B-side acústica de The Importance of Being Idle (2005), composta pelo guitarrista Gem Archer. Nunca o timbre vocal de Liam se aproximou tanto de John Lennon.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s