The Best => Prêmio mostra tendência da FIFA em preferir treinadores famosos a grandes trabalhos da temporada

premio treinadores fifaSaiu a lista de indicados da FIFA ao prêmio The Best, dado aos destaques da temporada 2016-17 no futebol global. Dentre as 12 opções de treinadores homens, chama atenção a quantidade de nomes de grife como Pep Guardiola, José Mourinho Luis Enrique, os quais não necessariamente realizaram grandes feitos no período.

Esta tendência não vem de hoje. As indicações da entidade boleira costumam sofrer críticas, principalmente no que diz respeito à contenda de melhor jogador do mundo. No caso dos professores, o top 12 atual deixa a predileção por estrelas evidente.

Guardiola, Mourinho e Luis Enrique são acompanhados por:

  • Carlo Ancelotti;
  • Joachim Low;
  • Diego Simeone;
  • Mauricio Pochettino;
  • Zinedine Zidane;
  • Leonardo Jardim;
  • Antonio Conte;
  • Massimiliano Allegri e
  • Tite.

Nem todos aí em cima fizeram bonito.

mourinho e guardiola

(Crédito: Sky Sports)

Guardiola e Mourinho passaram aperto (esperado) debutando por Manchester City e United, embora o português tenha tido sucesso nos mata-matas (ganhou Copa da Liga e Europa League pelos Red Devils, oscilando bastante). Já Luis Enrique venceu a Copa do Rei, porém mal fez sombra ao arquirrival na Espanha, perdendo o cargo no Barcelona ao fim da season.

Ancelotti deu uma Bundesliga ao estelar Bayern de Munique. A pelota da equipe, contudo, não encheu os olhos como nos transgressores momentos da era Pep.

Zizou empilhou taças no Real Madrid, incluindo as cobiçadíssimas La Liga e Champions League. Embolsará o bi no prêmio da FIFA, provavelmente. Só que é difícil entendermos a importância dele, de fato, num clube tão recheado de craques. Tal qual Guardiola no Barça, teremos que esperar certo tempo pra estabelecer parâmetros e compreender a parada.

Copos meio cheios, meio vazios

Allegri treinou um elenco superior (por superior, entenda-se “rendeu mais”) ao vice-campeão da Champions 2014-15, e teve mérito incontestável ao restabelecer a Juventus internacionalmente. Chegou noutra decisão continental (tendo maior cotação de triunfar) e mandou prender e soltar nos certames italianos.

Joachim Low levou os garotos da Alemanha a baterem adversários completos na Copa das Confederações, desabrochando talentos, é verdade. A competição, todavia, serve mais de teste do que avaliação definitiva.

Se seus times renderam mais notoriedade em temporadas anteriores, Simeone e Pochettino mandaram legal, conduzindo Atlético de Madrid e Tottenham novamente à Liga dos Champs. O primeiro argentino, aliás, merece palmas por modificar o estilo do Atleti, bem menos fechado em relação aos momentos áureos.

leonardo jardim

Leonardo Jardim, um dos que brilharam na temporada que passou (Crédito: ESPN FC.com).

Os grandes trabalhos

Se a FIFA quiser reconhecer os melhores técnicos de 2016-17, os melhores MESMO, a disputa centrará em Leonardo Jardim, Tite e Antonio Conte.

O Monaco de Jardim botou o endinheirado Paris Saint-Germain na roda na França, ganhando a Ligue 1 e alcançando as semi da Champions, num futs bacana de assistir.

Já Tite reergueu o Brasil, classificando de forma inapelável à Copa do Mundo um grupo de qualidade, entretanto execrado por público e crítica.

Conte também fruiu terra arrasada. Seu Chelsea, pouco badalado, voltou à proeminência na Inglaterra e abocanhou a Premier League de braçada, deixando elencos mais fortes comendo poeira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s