Contos e afins => Milagre

Eu tive um amigo. Chamado Milagre. Bem filha da puta. O meu amigo Milagre. Quando esperado. Pedido. Ansiado no largo. Ele nunca vinha. Uma praga! Mas bastava a gente… Dar a saída… Parar de botar fé… Trabalhar… Movimentar a vida… Divinha quem? Milagre aparecia. E ficava! Aquela peste. Chegava. Mesa de bar. Mansinho. Como se nada. E a gente. Meio a rara. Companhia. Nem dando conta. Bem filha da puta. Perdoava.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s