Michael Scott e Creed Bratton tocando guitarra => A grande pérola dentre as cenas cortadas em The Office

michael scott tocando guitarraTempos atrás, eu fiz uma lista com os 10 melhores momentos musicais de The Office. Não foi fácil. Vários segmentos que eu adoro ficaram de fora mas, quando postei, considerei ter feito um bom trabalho. Meus momentos preferidos estavam, de fato, ali.

Era o que eu pensava.

Dias depois de botar a lista no ar, eis que um esquecimento imperdoável reacendeu a fogueira dormente da minha memória. Aí ferrou.

Como pude? Como? Logo aquele! Logo um dos mais especiais!

Como?

Pois é.

Foi um esquecimento tão cruel que, segundo após minuto, semana após mês, eu só consegui pensar: vou precisar me redimir.

Pois a hora da redenção chegou. Este post é dedicado a dar o destaque que a cena em questão tanto merecia. Tanto merece. Porque, meus amigos, quando Michael Scott e Creed Bratton tocam guitarra, mesmo sendo numa cena deletada, tal momento precisa ser contemplado.

Creed e o mito vivido por Steve Carell mostram seus dons musicais em Booze Cruise,  décima primeira aventura dos funcionários da Dunder Mifflin na segunda temporada da série. No episódio, tentando reafirmar sua liderança e ofuscar Jack (Rob Riggle), capitão do barco onde a filial de Scranton passeia, Michael pega uma guitarra da banda local e arrisca, digamos, um projeto de Smoke on the Water, clássico dos clássicos do Deep Purple. Ele certamente rivalizaria com o Jake Harper irritado, ainda criança, da primeira temporada de Two and a Half Men (episódio 20: Hey, I Can Pee Outside in the Dark):

Voltemos à canja das águas… O gerente regional da Dunder Mifflin acaba interrompido por Creed, que lhe toma a guita e comanda uma jam regada a rhythm and blues – dos bons, de botar qualquer um pra mexer. Tal como o mote do personagem homônimo, a fronteira brattoniana entre realidade e ficção fica borrada. Perante a câmera, o Creed Bratton inspetor de qualidade afirma ter sido membro dos Grass Roots na década de 1960, período em que o grupo norte-americano dividira palco com gente do quilate de Janis Joplin, The Doors e Cream. O que é verdade.

Muito que bem.

Pensando na trama narrada no episódio, a qual não me aterei acá, é fácil compreender o porquê da cena guitarrística ficar ausente da versão final de Booze Cruise. Mesmo assim, dá uma ponta de tristeza termos sido privados deste belo momento melódico de dois caras, cada um a seu modo, tão legais. Ainda bem que existe a internet pra resgatar registros assim.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s