Sobre themattar

Curitibano, 26 anos, formado em jornalismo pela UFPR. Guitarrista/vocalista do duo de rock Cactos.

Liga Mundial em Curitiba: É uma boa, mesmo?

liga mundial 2017 em curitiba

(Crédito: dudasportschannel.com.br)

Como curitibano e fã de vôlei, num primeiro momento curti a cidade ser escolhida pra sediar as finais da Liga Mundial 2017. Parando pra pensar, contudo, também percebi o quanto a decisão apresenta vieses meio descabidos. Continuar lendo

Chickenfoot => A incrível união entre Joe Satriani e partes de Van Halen e Red Hot Chili Peppers

chickenfootSammy Hagar que me perdoe, mas, depois da saída de Dave Lee Roth, o Van Halen nunca mais foi o mesmo. Por razões fora de sua alçada, sejamos justos – os excelentes backing vocals de Michael Anthony ficaram escanteados e o fraseado de Eddie Van Halen entrou numa onda menos imponente na guitarra. Era como se faltasse ânimo nos caras, de alguma maneira. Tanto que, ainda nos anos 90, tanto Sammy quanto Anthony deixariam a banda. Continuar lendo

1001 grandes álbuns desse mundão (parte 4)

cássia eller violõesPela primeira vez na história desta listona, fiz uma parcial temática. Na parte 4 dos 1001 grandes álbuns desse mundão, influenciado por intensa fase de imersão na música nacional que passei recentemente, decidi botar somente discos brasileiros. Continuar lendo

Passion and Warfare => Steve Vai toca disco clássico na íntegra em Curitiba e dribla imprevistos com muito jogo de cintura

foto (7)

(Foto: Guilherme Mattar)

Quem vê Steve Vai todo soltinho na Ópera de Arame mal sabe o duro que ele deu pra descolar seu lugar ao Sol. Foram anos e anos assombrado pelos guitarristas que sucedeu em projetos marcantes dos anos 1980. Anos e anos comparado a caras, basicamente, incomparáveis. Continuar lendo

Roland Garros, 1997 => Deixando três campeões pra trás, Gustavo Kuerten ganha o título de forma inesperada

gustavo kuerten curitiba 2A melhor maneira de conquistar o mundo é tomá-lo de assalto. Evitar o alarde e dar o bote quando o “seráááá?” ainda habita as cabeças gerais.

Exatamente isso fez Gustavo Kuerten no tênis. Trajando a indefectível indumentária azul e amarela da Diadora, o catarinense transformou sua 66ª posição no ranking da ATP na mais alta do saibro de Roland Garros em 1997, eliminando uma série de ex-campeões do torneio pra concluir o feito. Continuar lendo