1001 grandes álbuns desse mundão (parte 33)

sarah jane absence 2019Boa parte – aliás, a maior parte do material que configura a minha lista dos 1001 grandes álbuns desse mundão – vem de décadas deveras anteriores ao momento musical atual. Só que agora, ora pois, pra variar, resolvi, embora a representatividade da parte 33 mantenha o panorama médio do projeto, ora pois, pra variar, quero exaltar um exemplo atual, que acabou de sair do forno. Continuar lendo

1001 grandes álbuns desse mundão (parte 29)

killing is my business... and business is good! - megadeth 1985Eis aí a parte 29 da lista que segue indo indo indo na batida da vida ida. Em relação às outras partes, o que difere nesta aqui é o foco na última década – algo que não andava rolando no passado mil-e-úmico próximo. Destinei cinco vagas a cositas surgida nos ditos anos 2010 que logo logo terminarão. Continuar lendo

1001 grandes álbuns desse mundão (parte 15)

joy division unknown pleasuresGosto de reservar a primeira quinta do mês pra postar as novas entranças da listona. Atrasei um pouquinho desta vez. Não ligue. Não foi por mal. Havia apenas outros textos a escrever. Em junho eu volto ao prumo. Quer dizer, vou tentar. Nunca se sabe.

Muito bem. Falemos de música. Agora que me aproximo de 1/3 da tarefa completada, optei por um critério especial. Juntei na parte 15 discos os quais, num passado não tão remoto assim, fiquei horas dias semanas meses escutando. Sem parar mesmo.

A inspiração veio do exemplar da capa. Joy Division nunca foi a minha. Até que, sei lá, o santo bateu e ando ouvindo os caras direto. Sobretudo o Unknown Pleasures, pérola tão influenciadora às bandas de ontem. Hoje. E amanhã. Continuar lendo

10 álbuns minimalistas bem legais, focados na simplicidade da voz e violão (parte 2)

teatro positivo em cores

(Foto: Newmar Peres)

Depois da parte 1, que venha a parte 2!

Eis entonces a segunda leva de discos serelepíssimos, baseados na beleza e intimismo acústicos que o blog tanto gosta: Continuar lendo

Pink Moon (1972) => Nick Drake dispensa banda de apoio e lança o melhor álbum da história do folk

nick drake pink moonNick Drake parecia seguir passos rumo à grandiloquência composicional. Seus arranjos calhavam cada vez mais sofisticados e polidos ao passar do tempo, flertando com o jazz. Mas, no fundo no fundo, não era isso que ele queria.

O britânico preferia simplificar. Continuar lendo