1001 grandes álbuns desse mundão (parte 32)

led zeppelin IVNum segmento que privilegia os anos 1970 e manifestações mais recentes da música brasileira dos idos de 2010, eis a parte 32 dos 1001 grandes álbuns desse mundão. Continuar lendo

Anúncios

1001 grandes álbuns desse mundão (parte 27)

mccartney II 1980Seguem os trabalhos, firmes e fortes. Com uma coisa de jazz aqui, outro folk/country ali, pop acolá, a parte 27 dos 1001 grandes álbuns desse mundão baseia-se bastante nas vertentes bacanudas do bom e velho rock, além de seu complemento – o igualmente bom e velho roll. Continuar lendo

1001 grandes álbuns desse mundão (parte 23)

metallica black album 1991Quer dizer então que estamos em dois mil e dezenove depois de Cristo?

Rapaz, como o tempo passa…

Pois muito que bem. Passando com ele, vem agora mais uma parte da épica lista dos 1001 grandes álbuns desse mundão, a qual adentra sua terceira temporada – e sua vigésima terceira sequência.

Oloco! Continuar lendo

As 10 melhores músicas desconhecidas dos Titãs

titãs

(Foto: Agência Estado)

Típico post que curto fazer. Acho bem legal bizoiar discografias amplas como a dos Titãs, procurando coisas bacanas perdidas pelo tempo. E eles têm váárias dessas coisas…

Deixo abaixo dez exemplares repletos de qualidade, que muitas vezes passam batido quando ouvimos os LP’s focando nos hits.

Pra ser dinâmico, evitei repetir canções do mesmo álbum e ordenei por cronologia de lançamento: Continuar lendo

Grandes álbuns da humanidade brasileira => Jesus não Tem Dentes no País dos Banguelas (Titãs, 1987)

titas_jesus-nao-tem-dentes-no-pais-dos-banguelasO título por si só já é sensacional. O disco, então, nem se fala.

Depois do sucesso de Cabeça Dinossauro (1986), a gurizada do Titãs seguiu no som raivoso, combinando letras diretas com um temperinho extra de eletrônica. Eighties, né? Continuar lendo

Charles Gavin => Pai corintiano impediu que ex-baterista dos Titãs jogasse futebol pelo São Paulo

charles gavinO garoto Charles Gavin jogava bola nos anos 70. Morador da zona sul paulistana, torcia pro Corinthians e, conforme contou anos depois ao participar do programa Redação SporTV, sonhava ganhar a vida como quarto-zagueiro.

Procurando peneiras pra se inscrever, a molecada da rua onde vivia rumou certa vez ao Morumbi. Charles foi junto, e impressionou pelo físico Continuar lendo