Grandes álbuns da humanidade brasileira => Gilberto Gil (Gilberto Gil, 1971)

gilberto gil 1971Licença poética é fogo. Quis o cara-lá-de-cima que o melhor LP de Gilberto Gil surgisse justo no exílio do baiano. Gravado e lançado meio à ditadura, o disco homônimo de 1971 mostra um músico bastante influenciado pela efervescente cena blues/rock de Londres, onde vivia na época, deixando os grandes arranjos tropicalistas de lado em prol do minimalismo. Continuar lendo

Chateado com a ausência de Neto na Copa de 1990, Tom Zé compôs música em sua homenagem

cantando com a plateiaSebastião Lazaroni irritou bastante brasileiro ao não convocar Neto à Copa do Mundo de 1990. Gerou-se uma comoção forte no país, praticamente unânime, que em nada aliviou a péssima imagem associada àquela Seleção, eliminada nas oitavas de final pela Argentina.

Entre os revoltados estava Tom Zé, corintiano célebre e amigo pessoal do xodó da Fiel. Continuar lendo

Contos e afins => Blues do Iniciante 2

frejat e cazuza 1982

(Foto: Programa Boa Noite Brasil, 1982)

Eu queria tanto voltar àquela noite fria, parar apenas um instante. Bradando aos quatro ventos, sem me importar com o relento típico, juvenil, desenfreante. Afinal, em caso de acidente, você culpa a criança dirigindo ou o adulto que a botou no volante? Continuar lendo

1001 grandes álbuns desse mundão (parte 3)

legião urbana doisMais um mês que se inicia, mais uma parte da lista batuta (maluca, também) que este blog se dispôs a empreitar \o/

O destaque da vez vai pro BRock, muitíssimo bem representado através de discos seminais de bandas deveras importantes do nosso cancioneiro.

Sem mais delongas, eis 1001 grandes álbuns desse mundão:

Parte 3. Continuar lendo

Grandes álbuns da humanidade brasileira => Psicoacústica (Ira!, 1988)

psicoacústica_ira11 de maio de 1988. Este foi o dia em que o rock nacional conheceu Psicoacústica, a magnum opus do Ira!.

Lançado num período onde grandes grupos do Brasil amadureciam artisticamente, sorvendo novas influências e brincando com a eletrônica, o terceiro disco da banda paulista brilha mesclando seu som característico com psicodelia, pop, hard, samplers e até flertes de rap. Continuar lendo