Contos e afins => Literatura

Se eu viesse até você com boas novas, felicidade
Ah, se eu viesse até você com boas novas, felicidade
Você me abraçaria, ou pediria a verdade? Continuar lendo

Anúncios

1001 grandes álbuns desse mundão (parte 30)

murderer's home alan lomaxSeiscentos! A lista alcança agora sua sexta centena. Como diria o filósofo Cerginho da Pereira Nunes: DOIDERA!

Mantive o panorama normal das coisas, misturando décadas e estilos, trazendo desta feita um registro historicamente bem relevante: Murderer’s Home. Trata-se de uma compilação de gravações feitas pelo etnomusicólogo Alan Lomax, na primeira metade do século XX. Continuar lendo

O Terno em Curitiba => Uma banda em franco crescimento na Ópera de Arame

o terno curitiba 2019_foto vinicius grosbelli

(Foto: Vinicius Grosbelli)

Jovens cantando; tocando; falando pra jovens. Na opinião de muita gente, aí residia o trunfo do BRock. Trunfo que, no passar das décadas, foi-se lentamente indo, rareando à chegada de novos artistas e padrões de vida.

Até O Terno aparecer. Assistindo ao show do trio na Ópera de Arame, no último dia 5, tive a certeza de que tal máxima ressurgiu através dos braços de Tim BernardesGuilherme D’AlmeidaBiel Basile e metais de apoio. Caras da nossa idade cantando; tocando; falando pra gente da nossa idade. Continuar lendo

1001 grandes álbuns desse mundão (parte 29)

killing is my business... and business is good! - megadeth 1985Eis aí a parte 29 da lista que segue indo indo indo na batida da vida ida. Em relação às outras partes, o que difere nesta aqui é o foco na última década – algo que não andava rolando no passado mil-e-úmico próximo. Destinei cinco vagas a cositas surgida nos ditos anos 2010 que logo logo terminarão. Continuar lendo

1001 grandes álbuns desse mundão (parte 28)

there's nothing left to lose foo fighters 1999Outono é sempre igual, as folhas caem no quintal… E uma parte nova da lista mil-e-úmica chega no início de seu mês final (final da estação, no caso, já que ainda há belo chão a percorrer na lista) o/ Continuar lendo

Contos e afins => Colcha de retalhos existenciais

As coisas mudam.
Passou de mim, como até mim veio, esse episódio na sombra:
você sentada na cadeira de palhinha.
“Posso ouvir o vento passar,
posso falar da tarde que cai,
posso até ficar triste se eu quiser”.
Lá estão as palavras, voando embaralhadas.
“Mas não posso deixar tudo como está”.
(Não havia nada de divertido nela). Continuar lendo