Grandes álbuns da humanidade brasileira => Dois (Legião Urbana, 1986)

legião urbana dois“Ao passo que estamos nos distanciando do referencial externo – governo, política, Estado, poluição -, neste segundo a gente está superinteriorizando. Não temos mais músicas como ‘Soldados’ e ‘O Reggae’, porque a gente já falou daquilo ali. Não vou ficar a vida inteira falando da escola. Agora estamos falando do relacionamento emocional e afetivo das pessoas. No primeiro disco, a gente teve que bater na porta com muita força. Com o segundo, a gente pode falar as coisas sem precisar ficar gritando, porque a porta já está aberta”. Nestas palavras, o líder da Legião Urbana definiu Dois, logo após o lançamento do álbum. Continuar lendo

Grandes álbuns da humanidade brasileira => Rock Sensacional (Bolão e Seus Rockettes, 1958)

bolão e seus rockettes rock sensacional 1958O rock and roll surgiu no Brasil de modo semelhante ao ocorrido nos EUA, berço da revolução cultural propiciada pelo inédito poder aquisitivo gozado pelos jovens do pós-guerra. As primeiras canções do gênero lançadas aqui, em compacto, a partir de meados da década de 1950, basicamente reliam o que pintava na América do Norte. Fenômeno comum ao ocorrido, adiante, nos discos cheios que vieram a ser produzidos em território nacional.

Uma das atrações que melhor sintetizaram esta mudança estético-social, no Brasil, foi Bolão e Seus Rockettes. Capitaneado pelo saxofonista paulistano Isidoro (Osidoro, dependendo da fonte) Longano, popularmente conhecido por Bolão, o grupo cristalizou-se no intermédio entre a simplificação do jazz e a ênfase que as formações enxutas do rock, empregando guitarras cada vez mais chamativas, davam ao ritmo. Os metais ainda estavam lá, como atesta o sax proeminente de Bolão, mas a energia sonora dialogava com o frenesi e sensualidade dos refrões, ganchos e licks diretos da nova música que deixava as big bands para trás. Continuar lendo

Grandes álbuns da humanidade brasileira => Caetano Veloso (Caetano Veloso, 1968)

caetano veloso_caetano veloso 1968“Quando Pero Vaz de Caminha descobriu que as terras brasileiras eram férteis e verdejantes, escreveu uma carta ao rei: tudo que nela se planta, tudo cresce e floresce. E o Gaus da época gravou”. Misturando o rito do descobrimento do Brasil com a própria gravação do álbum (Gaus era o técnico de som do estúdio), Caetano Veloso abriu um de seus trabalhos mais emblemáticos, numa época em que justapor fazia todo o sentido do mundo – principalmente em nosso país. Continuar lendo

Grandes álbuns da humanidade brasileira => Fruto Proibido (Rita Lee & Tutti Frutti, 1975)

rita lee e tutti frutti fruto proibidoA vinda de Alice Cooper ao Brasil, em 1974, gerou um grande e imprevisto legado ao rock nacional. O cuidador das cobras usadas ao vivo pelo astro fez amizade com três músicos locais que estavam lá no Anhembi, assistindo, e decidiu ficar no país após o show em São Paulo.

Os jovens músicos – Rita Lee, Lee Marcucci e Luis Sérgio Carlini – iam gravar um álbum no ano seguinte. Eles não desgrudaram do cuidador de cobras – o inglês Andy Mills -, tornando-o produtor do futuro trabalho. Graças ao ouvido atento do amigo estrangeiro, sintonizado com o que rolava lá fora tanto em som quanto em tecnologia, a banda dos três músicos gerou um clássico do glam brasileiro: Fruto Proibido. Continuar lendo

Grandes álbuns da humanidade brasileira => É Proibido Fumar (Roberto Carlos, 1964)

roberto calros é proibido fumar 1964Encontrar uma identidade pode ser algo difícil para um artista. Nem sempre o norte estético aparece de forma clara, e não são poucos os casos em que a procura dura tanto que ofusca a criatividade. No caso de Roberto Carlos, a resposta veio rápido: o rock jovem americano. Ali estava o cerne da primeira fase de sucesso da carreira do Rei, como bem atesta o álbum É Proibido Fumar. Continuar lendo

Grandes álbuns da humanidade brasileira => Cássia Eller ao Vivo [Violões] (Cássia Eller, 1996)

cássia eller ao vivo [violões] 1996Quando quer, ao contrário do que se costuma dizer, Deus escreve certo por linhas cristalina-e-belamente retas. O caso de Cássia Eller é emblemático: quis o todo-poderoso que o melhor trabalho da cantora, aquele que mais se aproxima de sua essência, e que lhe faz mais justiça, fosse justo um ao vivo. Simples. Visceral. Continuar lendo

Grandes álbuns da humanidade brasileira => El Rapto (Cora, 2018)

cora el raptoIf it’s over, let it go…

Esta resenha talvez não saia boa. Peço perdão logo de cara.

Ela, a resenha, talvez não saia boa por uma simples razão: ele, o disco aqui tratado, me deixou estupefato. Sem palavras. Continuar lendo

Grandes álbuns da humanidade brasileira => Ouça o que Eu Digo: Não Ouça Ninguém (Engenheiros do Hawaii, 1988)

ouça o que eu digo não ouça ninguém_engenheiros do hawaiiMuitos consideram Humberto Gessinger um poeta do nível de Renato Russo e Cazuza, em se tratando do pop rock brasileiro.

Pra quem endossa tal tese, uma obra dos Engenheiros do Hawaii serve particularmente de prova, unindo arte e senso crítico: Ouça o que Eu Digo: Não Ouça Ninguém. Continuar lendo

Grandes álbuns da humanidade brasileira => Ventura (Los Hermanos, 2003)

ventura los hermanosO disco de estreia era bom. Misturava guitarra e metais de um jeito diferente do feito por Skank ou Paralamas do Sucesso no mainstream. Hardcore bem cantado.

O segundo? Legal também. Rompia a fórmula dos hits pop padrão, entrava na MPB. Aquele carinha de voz rouca, que assumia o mic vez ou outra, emitia claros sinais de talento na composição.

Mas o terceiro… Ali a banda mostrou, realmente, a que veio. Com Ventura (2003), os barbudos do Los Hermanos encontraram o equilíbrio entre rock e música popular brasileira, dando espaço pra Rodrigo Amarante desabrochar nas letras/gogó, oferecendo companhia sagaz à Marcelo Camelo. Continuar lendo