Grandes álbuns da humanidade brasileira => Ouça o que Eu Digo: Não Ouça Ninguém (Engenheiros do Hawaii, 1988)

ouça o que eu digo não ouça ninguém_engenheiros do hawaiiMuitos consideram Humberto Gessinger um poeta do nível de Renato Russo e Cazuza, em se tratando do pop rock brasileiro.

Pra quem endossa tal tese, uma obra dos Engenheiros do Hawaii serve particularmente de prova, unindo arte e senso crítico: Ouça o que Eu Digo: Não Ouça Ninguém. Continuar lendo

Anúncios

Grandes álbuns da humanidade brasileira => Ventura (Los Hermanos, 2003)

ventura los hermanosO disco de estreia era bom. Misturava guitarra e metais de um jeito diferente do feito por Skank ou Paralamas do Sucesso no mainstream. Hardcore bem cantado.

O segundo? Legal também. Rompia a fórmula dos hits pop padrão, entrava na MPB. Aquele carinha de voz rouca, que assumia o mic vez ou outra, emitia claros sinais de talento na composição.

Mas o terceiro… Ali a banda mostrou, realmente, a que veio. Com Ventura (2003), os barbudos do Los Hermanos encontraram o equilíbrio entre rock e música popular brasileira, dando espaço pra Rodrigo Amarante desabrochar nas letras/gogó, oferecendo companhia sagaz à Marcelo Camelo. Continuar lendo

Grandes álbuns da humanidade brasileira => Crocodilla (Crocodilla, 2011)

crocodillaMuitos creem que um grande disco deve ser breve. Direto. Acabar deixando aquele gostinho de quero mais na boca do ouvinte. Pois o debute da melhor banda curitibana de todos os tempos atende tal lógica com louvores. Continuar lendo

Grandes álbuns da humanidade brasileira => Apresentando Baden Powell e Seu Violão (Baden Powell, 1959)

apresentando baden powell e seu violãoBaden Powell e seu violão suingado. Uma combinação certeira e necessária, comprovada logo no primeiro disco solo do carioca, gravado em apenas dois dias. Continuar lendo

Grandes álbuns da humanidade brasileira => Hey Na Na (Os Paralamas do Sucesso, 1998)

paralamas do sucesso hey na naA crise fonográfica ficava pra trás no Brasil. A década de 90 avançava e, com ela, o BRock se recuperava da baixa, buscando coexistir entre pagode e sertanejo.

Neste contexto, Os Paralamas do Sucesso viviam situação engraçada. Seus discos de estúdio recentes vendiam pouquíssimo, mas os shows lotavam. Sem falar no sucesso internacional que a banda passou a desfrutar, sobretudo na Argentina. Continuar lendo

Grandes álbuns da humanidade brasileira => Quebra-Cabeça (Gabriel O Pensador, 1997)

quebra cabeça gabriel o pensadorPouca gente no Brasil foi maior do que Gabriel O Pensador em 1997. Vindo de trabalhos consistentes e críticos, o rapper carioca deu o pulo do gato com Quebra-Cabeça, emplacando hits nas rádios nacionais e vendendo muitíssimo bem. Continuar lendo

Grandes álbuns da humanidade brasileira => Maquinarama (Skank, 2000)

skank maquinaramaQuando começou a ser notado, na primeira metade dos anos 1990, o Skank se escorava no reggae e no dub. O pop/rock entrou na mistura de mansinho, com o passar do tempo. Até que, na virada do milênio, era ele quem dava as cartas melódicas da rapaziada mineira.

Absorvendo influências cada vez mais claras do britpop e do Clube da Esquina, a banda entrou em estúdio no começo de 2000. E em junho daquela temporada, lançou o melhor disco da carreira: Maquinarama. Continuar lendo

Grandes álbuns da humanidade brasileira => 2019 (Stolen Byrds, 2017)

stolen byrds 2019Senhoras e senhores, ainda há muito chão até 2017 acabar. Mas é seguro dizer que muito, muito dificilmente alguma banda brasileira lançará nesta temporada algo melhor que 2019, trazido ao mundo pelos sagazes da Stolen Byrds em maio. Continuar lendo

Grandes álbuns da humanidade brasileira => Gilberto Gil (Gilberto Gil, 1971)

gilberto gil 1971Licença poética é fogo. Quis o cara-lá-de-cima que o melhor LP de Gilberto Gil surgisse justo no exílio do baiano. Gravado e lançado meio à ditadura, o disco homônimo de 1971 mostra um músico bastante influenciado pela efervescente cena blues/rock de Londres, onde vivia na época, deixando os grandes arranjos tropicalistas de lado em prol do minimalismo. Continuar lendo