1001 grandes álbuns desse mundão (parte 23)

metallica black album 1991Quer dizer então que estamos em dois mil e dezenove depois de Cristo?

Rapaz, como o tempo passa…

Pois muito que bem. Passando com ele, vem agora mais uma parte da épica lista dos 1001 grandes álbuns desse mundão, a qual adentra sua terceira temporada – e sua vigésima terceira sequência.

Oloco! Continuar lendo

Anúncios

Roger Waters, Couto Pereira, Curitiba => Entretenimento e consciência juntos em prol da arte

foto 2 (6)

Interlúdio de Dogs, parodiando o fim do livro A Revolução dos Bichos, de George Orwell (Foto: Guilherme Mattar)

Podemos repartir a arte musical, grosso modo, em dois grandes gêneros: entretenimento e canções conscientes. Aquelas nos ajudando a esquecer os problemas, estas lembrando-os na marra.

Pink Floyd se notabilizou por ambos, amarrando conceitos líricos densos num verdadeiro espetáculo de luzes, sons e estruturas. Pegada que Roger Waters manteve na vida-pós Gilmour, Wright e Mason. Continuar lendo

1001 grandes álbuns desse mundão (parte 14)

blood sugar sex magikPrivilegiando discos do início de suas respectivas décadas, preenchi a nova sequência dos 1001 grandes álbuns desse mundão \o/

Nesta parcial, o mote é a segurança. Busquei trabalhos que conheço – e gosto – há um bom tempo, principalmente os dos anos 1980 e 1990.

Exemplos:

Boy eu ouço desde criança (sem trocadilho).  Use Your IllusionKill ‘Em All Ten chegaram na puberdade/adolescência, cada qual num momento específico, enquanto Blood Sugar entrou na fase adulta e fincou lugar imutável nas esferas super-superiores das minhas preferências audiófilas. Culpa do auge de John Frusciante…

Pois bora encerrar o prólogo e conferir a parte 14 inteira?  Continuar lendo

1001 grandes álbuns desse mundão (parte 5)

rolling stones 12 x 5Quando comecei esta empreitada, minha intenção era fugir do pragmatismo das listas corriqueiras. Evitar classificações por gênero ou época. Apenas repartir o todo e pegar 20 discos bacanas por post, sem amarras.

Mas venho passando por período mais regrado na vida, então fiz concessões. Tal qual a parte 4, dedicada exclusivamente a obras brasileiras, aqui na parte 5 dos 1001 grandes álbuns desse mundão também rola uma lógica: um exemplar de cada temporada, de 1956 a 1975. Continuar lendo

1001 grandes álbuns desse mundão (parte 3)

legião urbana doisMais um mês que se inicia, mais uma parte da lista batuta (maluca, também) que este blog se dispôs a empreitar \o/

O destaque da vez vai pro BRock, muitíssimo bem representado através de discos seminais de bandas deveras importantes do nosso cancioneiro.

Sem mais delongas, eis 1001 grandes álbuns desse mundão:

Parte 3. Continuar lendo

1001 grandes álbuns desse mundão (parte 1)

1001-pt-1

Tem Bebeto Zimmerman aí no meio, djow!

Era uma vez um guri chamado Guilherme, 17 anos, perambulando pela Fnac. Depois de tanto correr olhares na livraria, eis que ele descobre a primeira edição de 1001 discos para ouvir antes de morrer. Adorou. Continuar lendo

Animals, 1977 => O auge do Pink Floyd sob a batuta de Roger Waters

pink-floyd-1977À medida em que ganhou corpo longe da psicodelia 60’s de Syd Barrett, o Pink Floyd acabou sendo dominado criativamente por Roger Waters. Um domínio polêmico o qual, ao passo que deu ao rock frutos inigualáveis nos anos 1970, também causou o fim da formação clássica da banda.

Neste ínterim, o conjunto inglês investiu pesado nas letras vorazes do líder, as embebeu em instrumentais intrincados e criou o álbum que melhor define o período: Animals. Continuar lendo

9 músicas essenciais pra se ouvir na vida => José Maltaca (Cactos)

josé_as nove maisInicio hoje um projetinho maroto, fortemente inspirado pelo livro “Você tem que ouvir isso!” do jornalista Luiz Cesar Pimentel.

Neste balangandã, pergunto a cidadãos e cidadãs quais músicas consideram importantes de se ouvir na vida. Mas com uma ressalva: em vez de referências às novas gerações, tal feito por Pimentel, peço apenas 9 faixas “boas”. Dentro ou fora do radar.

Como não podia deixar de ser, a cobaia do negócio foi meu prestativo parceiro de banda, José Maltaca. Eis então as escolhidas pelo batera do Cactos: Continuar lendo

David Gilmour emociona Curitiba combinando novidades e sucessos do Pink Floyd na Pedreira Paulo Leminski

david gilmourA guitarra soberana. As músicas novas, mais impressionantes ao vivo do que em estúdio. Os solos do saxofonista João Mello, de volta à terra natal. O arsenal de hits do Pink Floyd.

Com ingredientes assim, não é difícil entender como David Gilmour fez 22 mil adultos plenos se emocionarem genuinamente em Curitiba, na noite de 14 de dezembro de 2015. Continuar lendo

O top 5 de Michael Kamen, o Maestro do Rock

michael kamenEm 18 de novembro de 2003, um mito da música nos deixou. Responsável pela aproximação entre orquestras e instrumentos amplificados, o Maestro do Rock Michael Kamen proporcionou um legado impecável ao longo dos 55 anos em que habitou o planeta Terra.

Em homenagem ao multifacetado nova iorquino, separei cinco músicas marotíssimas de medalhões que contaram com a providencial ajudinha de seus arranjos. Só coisa fina, juro. Continuar lendo