Slash e Republica => Uma noite de protagonismo plural na Live Curitiba

foto 3 (1)AAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHH!!! Marion Crane está apavorada. Na sua época não tinha sequer cor, tudo filmado preto e branco, quanto mais esses verborrágicos solos de guitarra de Slash. Que te xingam e chamam de meu bem ao mesmo tempo, ao mesmo bend. Esse solo aí de agora: Wicked Stone: quanto tempo dura? Dez? Quinze? Vinte? Trinta minutos? Saaabe Deus! A sensação é de que você pode sair, descer a canaleta do Portão, pegar o Santa Cândida/Capão Raso, ir pra casa, comer uma coisinha, ouvir o álbum Living the Dream, lançado em 2018 e atualmente promovido por Slash, ouvir o tal álbum inteirinho, pegar o vermelhão de volta, re-adentrar a Live Curitiba e, sim, ele ainda estará tocando. o bendito. solo. Marion Crane não sabe lidar com isso. Já lhe basta a morte certa acenando em Psicose, filme cuja cena – A cena – da personagem de Janet Leigh berrando no chuveiro, surge imortalizada – em cores! – na camiseta trajada por Slash bem diante de nossos olhos, bem diante no palco. Continuar lendo

Anúncios

Paul McCartney usa a experiência pra, mesmo sem “Yesterday”, ganhar os fãs de Beatles no retorno a Curitiba

foto 1 (2)John se foi em 1980. George em 2001. Ringo segue ativo, mas detém parte pequena do espólio. Ver Paul McCartney, portanto, é o mais perto que um indivíduo pode chegar da experiência de um show dos Beatles. E Curitiba não via Paul faz tempo… Desde dezembro de 1993.

Pois a espera terminou neste sábado (30), às 21h29. Um minutinho antes do combinado tabelado, alegrando o estádio Couto Pereira (mais de 42 mil cabeças sortidas presentes) e encerrando a perna sul-americana da turnê Freshen Up, em suporte ao álbum Egypt Station (2018). Continuar lendo

Prime Rock Brasil => Um resumo do que rolou na Pedreira Paulo Leminski

prime rock brasil

Sábado (8) foi um dia bastante especial em Curitiba. Lendas do rock nacional se reuniram sob um sol de rachar e tocaram por mais de 12 horas na Pedreira Paulo Leminski, celebrando suas obras no festival Prime Rock Brasil.

Segue abaixo um relato do que rolou em cada apresentação, organizado em ordem qualitativa (de acordo com a minha opinião, sempre bom frisar). Infelizmente o físico me impediu de ver os últimos atos do evento – Jota Quest e Capital Inicial. Estes fico devendo. Continuar lendo

Com André Frateschi regendo plateia da Live Curitiba, Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá mostram força da discografia da Legião Urbana

2018_11_legião urbana

(Foto: Guilherme Mattar)

Não tem jeito: a Legião Urbana é o maior conjunto da história da música brasileira. Não do rock. Não do pop. Da música nacional como um todo, mesmo. Nem a ausência corpórea do líder Renato Russo diminui tal fato.

Pelo contrário. Sua falta é que salienta o estofo da obra legionária. Pois Dado Villa-Lobos Marcelo Bonfá conseguem, apenas eles da formação clássica, fazer a maioria da plateia cantar absolutamente todas as canções executadas na Live Curitiba. De cabo a rabo. Das mais herméticas aos hinos mais inapeláveis. Continuar lendo

Summer Break Festival => Em Curitiba, Noel Gallagher toca setlist mais focado na carreira solo

foto 4 (2)

(Foto: Guilherme Mattar)

Abrindo ao U2 em São Paulo, ano passado, Noel Gallagher destinou quase metade do repertório à banda que o consagrou. Agora, em Curitiba, o valor relativo do antigo trabalho caiu a um terço. Continuar lendo

Roger Waters, Couto Pereira, Curitiba => Entretenimento e consciência juntos em prol da arte

foto 2 (6)

Interlúdio de Dogs, parodiando o fim do livro A Revolução dos Bichos, de George Orwell (Foto: Guilherme Mattar)

Podemos repartir a arte musical, grosso modo, em dois grandes gêneros: entretenimento e canções conscientes. Aquelas nos ajudando a esquecer os problemas, estas lembrando-os na marra.

Pink Floyd se notabilizou por ambos, amarrando conceitos líricos densos num verdadeiro espetáculo de luzes, sons e estruturas. Pegada que Roger Waters manteve na vida-pós Gilmour, Wright e Mason. Continuar lendo

Nando Reis em Curitiba => Música inédita rouba a cena em show voz e violão no Teatro Positivo

foto 3.1

(Foto: Guilherme Mattar)

Difícil encontrar alguém mais à vontade no intimismo. Nando Reis combina com o formato voz e violão. Seu canto, tipicamente agudo, ganha corpo permeado à emoção das canções versando o amor. Continuar lendo

Yamandu Costa, Teatro da Caixa, Curitiba => Coisas que lembro do primeiro show que assisti

yamandu costa

(Foto: cwbmania.blogspot.com.br)

Memória é um troço maluco. O tempo passa e o Cérebro fica preguiçoso que só. Tira sonecas existenciais cada vez mais longas. “Lembra aquilo lá?”, você se esforça, aproveitando uma rápida abertura de olho dele – típica de quem só acordou pra remover o excesso de remela. “Leeembro”, responde a massa cinzenta, abafando o bocejo. “Foi massa, né…”. Antes de terminar a frase, lá está o Cérebro virado pro outro lado, roncando alto, de novo, sem revelar maiores detalhes.

Dia desses, por exemplo. Me peguei matutando sobre o primeiro show que assisti na vida. Lembrei do artista (Yamandu Costa). Do local (Teatro da Caixa, em Curitiba). Da circunstância (noitinha). Das companhias (meu pai e minha mãe). Da data, nada. Continuar lendo

Frejat em Curitiba => Show voz e violão mostra grandes músicas escondidas na discografia do Barão Vermelho

frejat voz e violão

(Foto: Gledson Laurek)

É sempre bom quando pesos pesados fazem coisas diferentes. Em sua atual turnê, Roberto Frejat diminui os hits ao essencial e prioriza canções/colaborações que não costuma tocar com frequência.

Na noite de sábado, 2 de setembro, o público de Curitiba/PR pôde conferir isso de perto, no auditório do Teatro Positivo. Tudo num viés minimalista, voz e violão, enaltecendo o gogó privilegiado do rapaz de cabelo enrolado. E dando chance da madura plateia (forrada de casais) relembrar o quão rica é a discografia do Barão Vermelho. Continuar lendo