“Bota ponta na Seleção, Telê!” => A crítica ao trabalho de Telê Santana no Brasil de 1982

telê santana 1982

(Crédito: ESPN)

O futebol brasileiro dos últimos 30 anos nos habituou às linhas de quatro, ao meio-campo povoado, aos laterais fazendo o corredor e avançando. Mas nem sempre foi assim. Durante bom tempo, a tarefa de ocupar os flancos agudos, ir à linha de fundo e centrar/driblar coube aos pontas. Verdadeiras instituições nacionais.

Telê Santana virou treinador do Brasil justo no período desta transição, em 1980. Procurava ele o equilíbrio entre talento e preparo físico. Um elixir que julgou ter encontrado através do falso ponta – aquele que, escreve Paulo Vinícius Coelho no livro Escola Brasileira de Futebol (ed. Objetiva, 2018), “entrasse em diagonal e jogasse como mais um homem de meio de campo”. Tal qual Telê quando jogador. Continuar lendo

Anúncios

Antes da glória, Telê Santana teve passagem tumultuada pelo São Paulo em 1973

telê santanaTelê Santana viveu seu auge como treinador no São Paulo dos anos 1990, empilhando taças e virando sinônimo de futebol-arte mundo afora.

Até que isso acontecesse, contudo, o eterno Fio de Esperança precisou pagar alguns pecadinhos. Taxado de azarado por muuuito tempo, o rapaz atravessou momentos conturbados na carreira – como a primeira passagem pelo Tricolor paulista, duas décadas antes. Continuar lendo